Biografia

Eu sou Felipe Oliveira de Faria, nasci em Uberlândia (MG), no dia 19 de Março, filho da Rosângela e do Alessandro, sou católico e do signo de Peixes. Tenho duas irmãs, a mais velha se chama Roberta e a mais nova, Anna Carolina. Desde pequeno, sempre quis ser médico para cuidar das pessoas, aprendi desde cedo a não desistir dos meus sonhos e a lutar para conseguir realizá-los.

Estudei o ensino básico na Escola UAI, o fundamental na Escola Estadual Honório Guimarães e o ensino médio no Colégio Nossa Senhora. Fui aprovado em Medicina pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) em 2008, e por volta do 3º ano de faculdade, comecei a me fascinar pelo estudo do Sistema Nervoso. Tinha curiosidade em aprender como o cérebro funciona e como ele controla o nosso corpo e comportamento. Decidi então aprofundar meus estudos em Neurociência, quando comecei o estágio em Neurologia, com o mestre e mentor Dr Facundo Burgos Ruiz Júnior.

Meu primeiro paciente que ficou marcado em minha memória foi um rapaz, de 25 anos de idade, que havia tido inúmeras paradas cardíacas após uso de entorpecentes, e por consequência, havia ficado com tetraparesia espástica (perda dos movimentos e rigidez dos quatro membros) devido anóxia cerebral (baixa oxigenação do cérebro). O desafio de aprender neurologia e aplicar esse conhecimento para poder ajudar a devolver a qualidade de vida às pessoas que sofrem de condições neurológicas, ainda que irreversíveis, me motivou a me especializar em Neurologia.

Com o diploma de médico na mão e a vontade de colocar em prática os conhecimentos e habilidades médicas adquiridos e de conhecer novas vivências me fizeram alistar como médico voluntário para servir a Marinha do Brasil, em Brasília – DF, em 2014.

Em seguida, fiz residência médica em Neurologia na Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – SP de 2015 a 2018, e estágio profissional em Doenças Neuromusculares, Eletroneuromiografia e Biópsia Muscular, de 2018 a 2020, orientado pelo Prof Dr João Aris Kouyoumdjian e Dra Maria da Penha Ananias Morita.

Hoje, sou feliz e realizado por ser quem sou, casado com o Diego, pai da Duda e grato a Deus por me permitir viver meu sonho e a todas as pessoas que me ajudaram a escrever essa história.